Buscar
  • SionneauBrasil&Portugal

POR QUE A MEDICINA CHINESA "CLÁSSICA" VAI REVOLUCIONAR SUA PRÁTICA CLÍNICA ? PARTE 2


Após mais de 20 anos de estudos, pesquisas, aplicações clínicas, experimentações de diferentes estilos médicos, eu posso afirmar que existem métodos mais eficazes que outros para tratar as pessoas que sofrem. É certo que a obra de Zhāng Zhòng Jǐng é o instrumento com melhor desempenho da medicina chinesa, tanto para diagnosticar, quanto para tratar nossos pacientes. Eu tive a sorte de encontrar grandes especialistas que me ensinaram a praticar um estilo metódico, organizado, lógico e relativamente fácil de ser aplicado. Este artigo tem o objetivo de evocar algumas características desta corrente médica que me permitiu atingir competências e desempenho clínico muito melhores.





As influências históricas de Zhāng Zhòng Jǐng

A obra de Zhāng Zhòng Jǐng não é baseada no Nèi Jīng (Clássico interno), pelo menos não na forma como o Nèi Jīng (Clássico interno) descreve os 6 níveis. Ela é baseada no Tāng Yè Jīng 汤液经(O clássico das decocções) ou também chamado Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法(O método do clássico das decocções), um dos primeiros textos médicos da época Han e escrito pelo célebre Yī Yǐn (伊尹). Este último texto, certamente anterior a uma grande parte do Nèi Jīng (Clássico interno), se apóia nos 8 princípios (bā gāng 八纲) e se posiciona na linhagem do Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A Matéria Médica de Shen Nong) que, por sua vez, também é construído sobre os 8 princípios. Estes dois textos são a influência de Zhāng Zhòng Jǐng e não o Nèi Jīng (Clássico interno). Este ponto de vista é corroborado por descobertas arqueológicas e por um movimento de intelectuais que se desenvolveu sob as dinastias Ming e Qing que poderíamos traduzir por "aprendizagem por evidências ».


Uma das conclusões destas pesquisas é que muitos dos principais ensinamentos, muitas prescrições essenciais da obra de Zhāng Zhòng Jǐng são encontradas, com outro nome, no Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法. Tratam-se de fórmulas que tem nomes no estilo taoísta. Por exemplo, Xiǎo Yáng Dàn Tāng 小阳旦汤(Pequena decocção da aurora yáng) é similar à Guì Zhī Tāng 桂枝汤(Decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae), Xiǎo Yīn Dàn Tāng 小阴旦汤(Pequena decocção da aurora yīn) é equivalente à Huáng Qín Tāng 黄芩汤(Décocção de Radix Scutellariae Baicalensis), Dà Yīn Dàn Tāng 大阴旦汤 (Grande decocção da aurora yīn) é idêntica à Xiǎo Chái Hú Tāng 小柴胡汤 (Pequena decocção de Radix Bupleuri), Xiǎo Bái Hǔ Tāng 小白虎汤 (Pequena decocção do tigre blanc) é parecida com Bái Hǔ Tāng 白虎汤(Decocção do tigre branco), Dà Bái Hǔ Tāng 大白虎汤 (Grande decocção do tigre branco) é igual à Zhú Yè Shí Gāo Tāng 竹叶石膏汤 (Decocção de Folium Phyllostachys Nigrae e de Gypsum Fibrosum), Xuán Wǔ Tāng 玄武汤 (Decocção do guerreiro obscuro) é similar à Zhēn Wǔ Tāng 真武汤 (Decocção do guerreiro verdadeiro), etc. Os exemplos são inúmeros.


O famoso médico alquimista Táo Hóng Jǐng陶弘景 explica que Zhāng Zhòng Jǐng não reproduziu os

nomes de estilo taoísta do Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法 porque ele preferiu favorecer o reconhecimento das substâncias medicinais no título das prescrições. Guì Zhī Tāng 桂枝汤 (Decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae) é mais sugestivo que Xiǎo Yīn Dàn Tāng 小阴旦汤(Pequena decocção da aurora yīn) para o médico e o farmacêutico. Para Táo Hóng Jǐng, é fato comprovado que a obra de Zhāng Zhòng Jǐng foi amplamente inspirada no saber clínico de épocas anteriores, resumidas no Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法, e que fez importantes acréscimos tornando esta abordagem médica ainda mais potente. Além disso, numa obra médica encontrada numa das tumbas funerárias de Mǎ Wáng Duī 马王堆 que foi escrita antes do Nèi Jīng (Clássico interno), encontram-se ensinamentos diretamente retirados do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio). É uma nova prova de que Zhāng Zhòng Jǐng foi influenciado por um saber anterior àquele do Nèi Jīng (Clássico interno).


Isto tem sua importância pois, de acordo com outros especialistas do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesôes pelo frio), a obra de Zhāng Zhòng Jǐng deriva do Nèi Jīng (Clássico interno) que é mais orientado para a diferenciação de síndromes dos zàng fǔ e dos canais (meridianos), enquanto o Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A Matéria Médica de Shen Nong) e o Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法(O método clássico das decocções) são orientados para a diferenciação de síndromes segundo os 8 princípios.


A partir de pesquisas recentes, feitas por Yáng Zhāo Yì 杨昭义e Qián Chāo Chén 钱超尘, o texto do prefácio do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) que diz que ele se baseia no Sù Wèn e outros textos como o Nán Jīng (Clássico das dificuldades) foi acrescentado por outros autores, posteriores à Zhāng Zhòng Jǐng. É este acréscimo infeliz que levou alguns comentaristas a desenvolver uma explicação do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) através das teorias do Nèi Jīng (Clássico interno). É bem provável, então, que aqueles que estudam a obra de Zhāng Zhòng Jǐng através do Zhù Jiě Shāng Hán Lùn 注解伤寒论(Comentários sobre o tratado das lesões pelo frio) escrito em 1144 por Chéng Wú Jǐ 成无己que foi realmente o primeiro comentarista desta obra prima se apoiando nos ensinamentos do Nèi Jīng (Clássico interno) e do Nán Jīng (Clássico das dificuldades), errem o caminho.


Historicamente, a corrente médica das "prescrições clássicas" (jīng fāng 经方), é oriunda do período Shén Nóng, nome de uma das divindades civilizatórias da China antiga chamado o divino agricultor ou divino camponês (Shén Nóng 神农) que se situa entre a dinastia Shang e a dinastia Qin, ou seja, aproximadamente entre 1600 e 200 anos a.C. Durante este longo período de acúmulo de experiência utilizava-se como no Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A matéria médica de Shen Nong) as plantas isoladas para tratar as patologias. Em seguida, nos últimos séculos deste período, começa-se a combinar diversas substâncias medicinais para tratar como no Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法 (O método clássico das decocções) com a ajuda dos 8 princípios (bā gāng 八纲), mas sem deixar de usar plantas isoladas, também.


Sob os Han (200 a.C. e d.C.), Zhāng Zhòng Jǐng continuou a desenvolver esta linhagem médica utilizando as propriedades das substâncias medicinais tais como eram apresentadas no Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A matéria médica de Shen Nong) e a diferenciação de síndromes de acordo com os 8 princípios como no Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法 (O método do clássico das decocções) acrescentando o conceito de doenças meio-externa, meio-interna e de muitas prescrições que correspondem a tantas síndromes.


Alguns especialistas consideram que Zhāng Zhòng Jǐng criou o método dos 6 sistemas para organizar e classificar os tratamentos de fitoterapia de sua época. De uma certa maneira, ele colocou ordem num saber ancestral desta época que já tinha sido reportado no Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A matéria médica de Shen Nong) e o Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法(O método do clássico das decocções). Zhāng Zhòng Jǐng apenas prolongou e completou a tradição das Prescrições Clássicas (jīng fāng 经方) iniciada por estes dois textos fundamentais.



Má interpretação da obra de Zhāng Zhòng Jǐng

Historicamente muitos médicos se equivocaram na mensagem e utilidade deste tratado, transmitindo ideias errôneas a este respeito e tornando cada vez mais complicado seu estudo. O nome Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) fez, inclusive, com que muitos praticantes acreditassem que esta obra só era útil para febres induzidas pelo frio externo. Enquanto que, na verdade, a obra de Zhāng Zhòng Jǐng foi escrita para responder às patologias externas e internas, do tipo vazio ou plenitude, frio ou calor, agudas ou crônicas, para todo tipo de doença, incluindo aquelas que não são classificadas na nosologia chinesa e ocidental. Assim, muitos especialistas tiveram uma visão estreita e errônea sobre este monumento da medicina chinesa. Alguns especialistas pensam que na obra de Zhāng Zhòng Jǐng o termo « lesão pelo frio (shāng hán 伤寒) » teria relação com as doenças que se manifestam pelo calor. Não se trataria, portanto, especialmente de vento-frio ou de frio externo. Ou seja, é o fim do mundo, o nome dá a impressão que este tratado apresenta o tratamento para um frio externo enquanto ele é mais indicado para doenças febris. De fato, para compreender e utilizar bem as teorias desta corrente médica, é preciso esquecer os conceitos de vento, frio, calor. No Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio), na verdade, não falamos de fatores patogênicos como vento, frio, umidade, calor, secura ou canícula, falamos de sintomas. Nos apoiamos sobre os sintomas para diagnosticar, para descrever síndromes que estão em relação com as prescrições. Com efeito, cada prescrição corresponde a uma situação patológica precisa, a qual damos o nome de síndrome.


6 SISTEMAS E NÃO 6 MERIDIANOS !

Como eu expliquei na 1ª parte deste artigo, ninguém sabe ao certo o que Zhāng Zhòng Jǐng quis dizer 2000 anos atrás. Podemos, no melhor dos casos, ter uma interpretação mais ou menos pertinente. Alguns especialistas consagraram toda uma vida a pesquisar o significado profundo de cada frase, de cada palavra do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) e do Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro) permitindo uma utilização clínica eficaz, até mesmo prodigiosa deste concentrado de sabedoria médica.


Frequentemente falamos dos "6 meridianos", ou seja, liù jīng 六经 para falar dos "6 aspectos patológicos" descrito por Zhāng Zhòng Jǐng. Inicialmente, é preciso saber que esta expressão nunca foi citada no Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio), nem no Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro). Ela se refere ao tài yáng 太阳, shào yáng 少阳, yáng míng 阳明, shào yīn 少阴, tài yīn 太阴, jué yīn 厥阴. Nada, nestes textos, permite dizer que estão relacionados aos 6 meridianos. Então, já é um erro associar estes 6 elementos a 6 meridianos. Se nos contentarmos em ter uma leitura atenta dos textos, podemos compreender que ele fala de 6 universos patológicos, de 6 sistemas. Zhāng Zhòng Jǐng, às vezes, fala claramente dos meridianos (que eu prefiro traduzir por canais) em algumas descrições de patologia quando ele evoca uma parte do corpo (cabeça, abdomen, membros, meridianos, etc). Mas nada nos permite dizer que tài yáng, shào yáng, yáng míng, shào yīn, tài yīn, jué yīn são meridianos.


Enfim, é preciso compreender que na língua chinesa, todos os ideogramas tem vários significados e que eles foram mudando ao longo dos séculos. Às vezes, um determinado caractére possui um significado muito específico em uma única obra importante. No Grand dictionnaire Ricci (Grande dicionário Ricci), por exemplo, o caractére jīng 经 tem pelo menos 15 significados diferentes, como Trama de um tecido, Meridiano (longitude), Regra contante, Menstruação, Livro canônico, Sûtra (budista), Oração recitada, Passar por (atravessar), Fazer um traçado (medir), Calcular, Governar, Praticar, Estrangular, Jarro de vinho, etc. E Alguns especialistas acreditam que na obra de Zhāng, jīng 经, quando associado à tài yáng, shào yáng, yáng míng, shào yīn, tài yīn, jué yīn, descreve universos fisiológicos, associados evidentemente à patologias específicas. É por isso que é preferível falar de « 6 sistemas » e não de 6 meridianos, expressão inconveniente pois nos leva à uma ideia que Zhāng Zhòng Jǐng fala da patologia dos 6 meridianos, o que não é o caso. Como eu disse na Parte 1 deste artigo, o o Shāng Hán Zá Bìng Lùn 伤寒杂病论 (Tratado das lesões pelo frio e das doenças diversas) pertence à uma corrente médica diferente do Nèi Jīng (Clássico interno) que não se baseia na descrição fisiológica ou patológica dos meridianos ou dos órgãos zàng fǔ.

continua no próximo artigo....


Tradução: Silvia Ferreira

direitos reservados: Philippe Sionneau

fonte:https://sionneau.com/medecine-chinoise/articles/la-medecine-chinoise-classique-va-revolutionner-votre-pratique-partie-2#_ftn1

30 visualizações
  • Grey Facebook Icon

​© 2017 Projeto Sionneau Brasil - São Paulo, SP

Layout by Pérola Produções