Buscar
  • SionneauBrasil&Portugal

POR QUE A MEDICINA CHINESA "CLÁSSICA" VAI REVOLUCIONAR SUA PRÁTICA CLÍNICA ? PARTE 3

Atualizado: Abr 10



Neste novo artigo, gostaria de continuar apresentando a medicina clássica chinesa e, em particular, o estilo das prescrições clássicas (jīng fāng 方), que corresponde a uma metodologia precisa para diagnosticar e tratar pacientes. Essa corrente médica é muito mais fácil de estudar e aplicar do que a "MTC". Em particular, facilita o diagnóstico e a seleção de tratamentos. Para apreciar totalmente esse estilo, recomendo que você leia os 2 artigos anteriores. Vou continuar aqui a descrição das características desse estilo antigo. Os amantes da medicina chinesa antiga devem ser desafiados ...

Os 6 sistemas = as 6 localizações da patologia

No método que apresento a você, os 6 sistemas (tai yáng, shào yáng, yáng míng, shão yīn, tai yīn, jué yīn) estão relacionados à localização da doença. Os 6 níveis são seis lugares, seis zonas fisiológicas ou patológicas:

O externo ou a superfície (biǎo 表) está relacionado à superfície do corpo, isto é, a pele, músculos, carnes, tendões, articulações, ossos e tudo o que compõe a parte exterior do corpo. É a superfície. Se um fator patogênico, qualquer que seja sua natureza e origem, provoca uma reação nessa parte do corpo, pode-se diagnosticar uma síndrome de superfície (externa).

O interno (ǐ 里) está relacionado à parte interior do organismo. Especificamente, é o esôfago, estômago, intestino grosso, intestino delgado e tudo o que compõe o sistema digestivo. Se um fator patogênico, qualquer que seja sua natureza e origem, provoca uma reação nessa parte do corpo, pode-se diagnosticar uma síndrome de superfície interna.

O meio externo / o meio interno (bàn biǎo bàn lǐ半表半里) estárelacionadoàsuperfície interna e o interno da superfície, ou seja, à área que existe entre a superfície e interno, istoé, osespaços importantes no tórax e no abdômen, incluindo também a região torácica lateral. Estaéa área em que estão localizados todos osórgãos zàng e fǔ, ou seja, a parte meio-externa e meio-interna do corpo. Se um fator patogênico, qualquer que seja sua natureza e origem, provoca uma reação nessa parte do corpo, pode-se diagnosticar uma síndrome de superfície meio-externa, meio-interna.



Note-se que todas as doenças "internas", por exemplo, têm em comum um certo número de sintomas. Há uma grande variedade de combinações possíveis desses sintomas, mas assim que uma patologia é expressa em uma dessas três áreas, ela é necessariamente tingida com manifestações típicas que caracterizam cada uma dessas três partes do corpo. Além disso, é bem possível que uma patologia envolva 2 ou até 3 áreas simultaneamente. Observe também que, quando falamos em localização, é a localização das manifestações da doença, suas reações no corpo e não o local onde a doença propriamente dita se encontra. Concretamente, no caso da gripe do tipo tài yáng, notamos que as manifestações operam na superfície, mas sabemos muito bem que o vírus, na verdade, circula no sangue, no interior do corpo. Mas na dialética das prescrições clássicas (jīng fāng 方), não buscamos pensar onde ela está, do ponto de vista bioquímico ou de onde vem. Para falar "mais chinês", se uma patologia é interna, mas provoca uma resposta na superfície de acordo com a definição que acabamos de dar, então o diagnóstico é uma síndrome de superfície. O que importa é onde os sintomas aparecem. Por outro lado, se um fator patogênico externo é expresso por sintomas internos, a atitude correta é diagnosticar uma síndrome interna.

Diagrama dos três locais



A zona meio-externa e meio-interna está relacionada a muitos distúrbios originários de diferentes órgãos e áreas do corpo. Ela está especialmente relacionada ao tórax, abdômen, região torácica lateral que pode estar ligada a vários sintomas induzidos pelos sistemas urinário, digestivo, respiratório e endócrino. A síndrome meio-externa e meio-interna não está relacionada a doenças específicas ou, especialmente, ao fígado e à vesícula biliar. Está relacionada a um grupo de sintomas que juntos formam a síndrome meio-externa e meio-interna. Portanto, pode estar ligada a qualquer órgão do corpo. O que é crucial são os sintomas, não a ideia preconcebida que temos sobre eles.

Síndromes de prescrição - fāng zhèng

A análise de sinais e sintomas através dos oito princípios e dos 6 sistemas, nos permite identificar a localização do desequilíbrio (exterior, interior, meio-externa / meio-interna), sua polaridade (yīn, yáng), sua natureza (frio, calor), bem como sua qualidade (vazio, plenitude). O conjunto desses parâmetros nos direcionam para uma prescrição correta. Cada fórmula no Shāng Hán Lùn (Tratado sobre lesões pelo frio) e na obra de Zhāng Zhòng Jǐng corresponde, geralmente, a uma síndrome específica. 1 fórmula = 1 síndrome. É por isso que chamamos essa entidade de fāng zhèng 证: "síndrome-prescrição" ou mesmo "síndrome da prescrição". Assim, falamos da síndrome de Guì Zhī Tāng 桂枝 (decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae), da síndrome de Xiǎo Chái Hú Tāng 柴胡 (pequena decocção de Radix Bupleuri), síndrome de Sì Tāng 四逆 (decocção das quatro inversões ) etc. O Zhāng Zhòng Jǐng propõe 262 prescrições que correspondem a 262 síndromes diferentes. São precisamente essas fórmulas da dinastia Han que são chamadas de prescrições clássicas (jīng fāng 方). O uso exclusivo dessas fórmulas extraídas dos ensinamentos de Shāng Hán Zá Bìng Lùn (Tratado sobre lesões pelo frio e doenças diversas) é o que se chama "a escola das prescrições clássicas" (jīng fāng pài 派).

Nesse estilo, conhecer o sistema envolvido na patologia graças aos 8 princípios é essencial, mas não suficiente. Por exemplo, saber que o desequilíbrio de um paciente é uma doença de tài yáng é essencial, mas depois é preciso que esta informação nos leve a uma das muitas prescrições de tài yáng. O reconhecimento da fórmula correta baseia-se principalmente nos sinais e sintomas associados às prescrições do Shāng Hán Zá Bìng Lùn (Tratado sobre lesões pelo frio e doenças diversas).

Vamos dar um exemplo concreto. Um paciente pode ter este conjunto de sintomas: cefaléia, febre, dor muscular, dor nas articulações, aversão ao frio, ausência de transpiração, dispnéia. Eles estão associados, sem qualquer hesitação, a uma doença de tài yáng e, mais precisamente, a uma lesão por frio. A fórmula que melhor corresponde nesse caso é Má Huáng Tāng 麻黄 (Decocção de Herba Ephedrae). No entanto, se, além disso, ele tiver uma forte rigidez e dor no pescoço e nas costas, Gě Gēn Tāng 葛根 (Decocção de Radix Puerariae) é mais adequada. Se, além disso, há disforia agitação, Dà Qīng Lóng Tāng 青龙 汤(Grande decocção do dragão azul) é melhor adaptada. Essas três prescrições pertencem ao tài yáng, induzem a transpiração, tratam o mesmo universo, mas respondem à diferentes situações patológicas que exigem uma impulsão terapêutica diferente. Cada uma dessas fórmulas é caracterizada por uma combinação de plantas específicas, que favorecem o tratamento de um grupo de sintomas em especial, que constituem uma síndrome.

A família Guì Zhī Tāng 桂枝 (decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae) integra 28 variações, ou seja, 28 síndromes diferentes (portanto, com 28 grupos de sinais e sintomas diferentes) e 18 síndromes de transmutação, ou seja isto é, uma mudança de natureza e lugar. Por exemplo, a doença de tài yáng se transmuta em doença de yáng míng. Essas 28 síndromes apresentam variações de Guì Zhī Tāng 桂枝 汤. Às vezes, os ingredientes são os mesmos e apenas a dosagem de uma ou mais substâncias medicinais muda. Mesmo essa modificação faz da prescrição um tratamento adequado para outra situação patológica que não seja a de Guì Zhī Tāng 桂枝 汤. Cada variação, mesmo quando se trata apenas da dosagem, envolve a alteração do nome da prescrição. Por exemplo, quando Zhāng Zhòng Jǐng aumenta a dose de Gui Zhi de Guì Zhī Tāng 9 de 9g para 15g, a fórmula se torna Guì Zhī Jiā Guì Tāng 桂枝加 (Decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae mais Ramulus Cinnamomi) para tratar com mais eficácia o "qì que surge no alto" (qì shàng chōng 上), que nada mais é do que uma forma de inversão do qì quando uma síndrome de tài yáng não foi corretamente eliminada na superfície do corpo. Essa inversão do qì pode resultar em cefaléia, tontura, vertigem, zumbido, sudorese na cabeça, arrotos, tosse ...

Se a prescrição não é adequada para manifestações clínicas, pode não ter efeito terapêutico. Podemos ver uma ilustração radical desse princípio com Wǔ Líng Sǎn 五苓散 (Pó dos cinco [ingredientes] com Sclerotium Poriae Cocos). Em uma pessoa saudável, isso não aumenta a quantidade de urina. Nas pessoas que receberam voluntariamente um diaforético de forma a fazê-las transpirar muito, criando a síndrome Wǔ Líng Sǎn 五苓散, quando recebem novamente esta medicação, apresentam aumento da urina. Isso mostra que as fórmulas são adaptadas a um conjunto específico de sintomas sem os quais agem pouco ou nada.

!! Nós não tratamos nem as causas, nem as doenças !!

Nesse método, a causa da doença, como, por exemplo, vento-umidade externo, calor interno pelo consumo excessivo de álcool, vazio do sangue do fígado pelo uso excessivo de telas, excesso de estresse, distúrbios emocionais etc. não é importante! O importante é o local, a polaridade, a natureza, a qualidade da patologia no momento presente, no momento da consulta. O que é fundamental não é a causa, mas como, em um determinado indivíduo, seu corpo reage a um fator patogênico. Pelo mesmo fator patogênico, cada pessoa desenvolverá sua própria reação a esse perverso de acordo com sua idade, sexo, força de seu qì, doenças passadas, de acordo com sua constituição, etc. Isso dará manifestações diferentes. É isso que faz com que, sob o mesmo nível de estresse, algumas pessoas não apresentem patologia, outras apresentem enxaqueca crônica, outras colopatia funcional, outras asma, outras depressão mental, etc. Com a medicina chinesa clássica, não vamos tentar tratar o estresse ou a doença, mas as manifestações específicas do indivíduo sob estresse.

Repito, o essencial não é o fator patogênico que causa a doença, mas como o corpo de uma pessoa se adaptou a ela. Obviamente, esses são os sintomas e sinais que nos permitirão saber como o corpo se adaptou à situação patológica e qual é a prescrição que corresponde a ela. Esse conceito é muito importante para entender a grande diferença que existe entre o mundo médico das prescrições clássicas (jīng fāng 方) e o do Nèi Jīng (Clássico interno) ou o de "MTC". Zhāng Zhòng Jǐng lança luz sobre a síndrome-prescrição, eventualmente, sobre o mecanismo fisiopatológico, mas não sobre a etiologia.

Por exemplo, Guì Zhī Tāng 桂枝 (decocção de Ramulus Cinnamomi Cassiae) é considerado de acordo com o ensino universitário contemporâneo como um remédio que trata uma doença causada pelo vento frio (resfriado, gripe, doenças respiratórias ...). Não é a visão da "escola de prescrições clássicas" (jīng fāng pài 方). De fato, Guì Zhī Tāng certamente pode tratar ataques de vento frio, mas também sudorese excessiva, espontânea ou noturna, sem ataque da superfície pelo frio! Guì Zhī Tāng, independentemente de quem está envolvido originalmente, pode tratar qualquer doença caracterizada por um tipo particular de sudorese, sem que, necessariamente, tenha sido causada por "vento frio". Se um paciente tem uma doença de pele crônica, que remonta a muitos anos, acompanhada de sensações de calor geral, sudeorese espontânea ou frequente ou mesmo sudorese noturna e medo de correntes de ar, possivelmente com congestão nasal e dor de cabeça, essa dermatose será tratada por Guì Zhī Tāng. No entanto, não há vento frio, não é agudo, nem recente.

A aplicação de fórmulas clássicas não se baseia nas doenças ou nas causas, mas nos sinais e sintomas que constituem "síndromes-prescrições". Isso significa que uma fórmula de Shāng Hán Lùn (Tratado de lesões pelo frio) pode tratar um grande número de doenças muito diferentes e que uma determinada doença pode ser tratada por diferentes prescrições. O método terapêutico de Zhāng Zhòng Jǐng não busca tratar doenças, mas síndromes caracterizadas por um conjunto de sinais e sintomas agrupados em 6 categorias, ou seja, os 6 sistemas. Em outras palavras, o método terapêutico não se baseia na identificação de doenças ou causas, mas no diagnóstico de mecanismos patológicos por meio de um grupo de sinais e sintomas, que podem estar na origem de diferentes doenças.


Uma primeira conclusão

Em conclusão, neste método, não estamos preocupados com o nome da doença ou sua causa, mas com o local e como ela se manifesta. Essa abordagem simplifica bastante o processo mental durante o diagnóstico. Não precisamos determinar a causa da doença. Além disso, os sinais e sintomas nos mostram, de acordo com uma metodologia precisa, qual ou quais são os sistemas que apresentam disfunções. A fórmula adaptada nos permite restaurar o equilíbrio fisiológico do sistema desregulado e, graças a isso, qualquer perverso é naturalmente eliminado. Isso não significa que os resultados sejam necessariamente instantâneos, porque certos desequilíbrios exigem tempo para ser reorganizados, mas, em qualquer caso, temos o método.

Nesta abordagem, as fórmulas não são simplesmente remédios com funções e indicações. Eles descrevem os diferentes aspectos da patologia humana. Eles são um método de entender o corpo humano e seus males. Portanto, o diagnóstico é sempre a combinação de três elementos: "sistema 经/princípio 纲/síndrome ", sabendo que a síndrome é uma combinação de sintomas tratados por uma prescrição precisa. Em outras palavras, o diagnóstico e o tratamento baseiam-se no reconhecimento do local da doença (= sistema envolvido), na natureza da doença (= nos princípios envolvidos: yīn / yáng / quente / frio / interno / externo / vazio / plenitude ) e a combinação específica de sintomas (= síndrome que corresponde a uma prescrição específica).


Tradução: Silvia Ferreira

© Copyright Philippe Sionneau


0 visualização
  • Grey Facebook Icon

​© 2017 Projeto Sionneau Brasil - São Paulo, SP

Layout by Pérola Produções