Buscar
  • SionneauBrasil&Portugal

POR QUE A MEDICINA CHINESA "CLÁSSICA" VAI REVOLUCIONAR SUA PRÁTICA CLÍNICA ? PARTE 1


O Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) é, depois do Nèi Jīng (Clássico interno), provavelmente o clássico mais conceituado da medicina chinesa. Ao mesmo tempo, é um dos textos mais largamente incompreendidos e mal interpretados. Isto acontece muito entre os estudantes e praticantes de medicina chinesa na França e no mundo francófone. Alguns acreditam que esta obra essencial tratar as patologias induzidas por um perverso externo, outros que ela só trata síndromes provocadas pelo frio, sem falar naqueles que pensam que ela descreve a progressão patológica do frio nas seis camadas "energéticas" do corpo.

É extremamente triste, pois ao longo de 25 anos mergulhado no mundo da medicina chinesa, eu pude constatar 3 coisas. Primeiro, todos os praticantes, chineses ou ocidentais, que me surpreenderam por seus resultados clínicos fora do comum eram todos, sem exceção, apaixonados pelo Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) e pelo Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro). Em seguida, todos aqueles que estão em pesquisa constante para melhorar sua prática clínica e que possuem um mínimo de referência, se voltam num momento ou noutro a estes dois textos fundamentais. E, finalmente, todas as correntes mais atuais que clamam um retorno à Medicina Chinesa "Clássica" oposta à Medicina "Tradicional" Chinesa acadêmica emanam da obra de Zhāng Zhòng Jǐng, todas, sem exceção!

Muitos franceses criticam o ensino e a prática da abordagem contemporânea acadêmica chinesa. Graças ao ressurgimento de textos clássicos como o Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) e o Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro) e a estas diferentes correntes que reinvindicam uma medicina chinesa mais "ancestral", mais "antiga", mais "original", eles poderão ter mais alegria no coração. E hoje, eu posso dizer que o futuro da medicina chinesa passará por estas abordagens mais "clássicas" que permitirão aos mais exigentes serem nutridos no seio dos mais antigas tradições.

Através deste artigo, eu gostaria de apresentar uma das escolas que defendem uma medicina chinesa mais autêntica, chamada escola das Prescrições Clássicas (Jīng Fāng Pài 经方派). Eu estou envolvido no estudo desta escola e devo dizer que meus resultados clínicos foram revolucionados por esta abordagem. Eu desejo, sinceramente, que meus colegas tomem consciência que podem ir muito além em suas práticas clínicas e que ao mudarem alguns pontos de vista, aplicando uma nova metodologia, podem transformar seus desempenhos no consultório para um maior benefício de seus pacientes. A magia da medicina chinesa existe desde sempre, eu sou testemunha e gostaria que ela fosse difundida a todos os estudantes e profissionais.



Um preâmbulo fundamental


Quando se estuda o Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) e o Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro), devemos manter no espírito que é difícil ter certezas sobre o que Zhāng Zhòng Jǐng quis dizer, exatamente, há quase 2000 anos atrás. Portanto, não existe uma Verdade sobre seus ensinamentos, apenas interpretações possíveis. No entanto, nem todas as interpretações são eficazes e é a prática clínica que nos permite saber se nossa compreensão dos clássicos é correta ou não. O ponto de vista que vou expor se baseia numa interpretação que, na minha opinião, é uma das mais pertinentes para uma prática clínica eficaz no Ocidente.


Duas correntes médicas

Esquematicamente, podemos dizer que há duas grandes correntes médicas na China. Aquela que foi inspirada no Yì Jīng (Clássico das Mutações) e a que tem relação com o que chamamos Prescrições Clássicas (jīng fāng 经方). O Hàn Shū 汉书(O livro dos Han) que foi escrito sob a dinastia Han (206 a. C. – 220 d. C.) e que retrata a história desta época, evoca claramente a classificação das obras de medicina chinesa em duas categorias: àquelas da escola do Yì Jīng (Yì Jīng Pài 易经派) e àquelas da Escola das Prescrições Clássicas (Jīng Fāng Pài 经方派). Portanto, encontramos históricamente esta diferenciação.

A corrente do Yì Jīng (Clássico das Mutações) se baseia no yīn yáng, cinco movimentos, órgãos zàng fǔ, sobre o conceito de canais e colaterais (jīng luò 经络) e não sobre as doenças que encontramos nas principais obras deste universo médico. Esta corrente é influenciada por conceitos taoístas e confucionistas. Seu texto fundamental, ou pelo menos o mais representativo, é o Nèi Jīng (Clássico Interno), ainda que, historicamente, saibamos que existem outros livros importantes desta abordagem que desapareceram, como o Biǎn Què Nèi Jīng 扁鹊内经, como o Bái Shì Nèi Jīng 白氏内经, o Wài Jīng 外经

A corrente das Prescrições Clássicas (jīng fāng 经方) se baseia nos oito princípios (bā gāng 八纲), nos 6 sistemas (liù jīng 六经) e na síndrome das fórmulas (fāng zhèng 方证).


Esta escola descende diretamente do Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A Matéria Médica de Shen Nong), do Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法 (O Método do Clássico das Decocções) e do Lùn Guǎng Tāng Yè 论广汤液 que foi renomeado de Shāng Hán Zá Bìng Lùn 伤寒杂病论(Tratado das lesões pelo frio e doenças diversas) e que, finalmente, foi dividida em duas obras: Shāng Hán Lùn (Tratado das Lesões pelo Frio) e Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro). Foi Wáng Shū Hé 王叔和(201-280) que rebatizou o Lùn Guǎng Tāng Yè como Shāng Hán Zá Bìng Lùn por causa dos três primeiros parágrafos do texto inicial. Mas esta escolha foi infeliz pois, desde então, aqueles que se deparam com este texto pensam que seu único objetivo é tratar as lesões pelo frio, o que não é verdade, é limitante e fonte de mal-entendidos.

Estes são dois sistemas médicos completamente diferentes, tanto quanto podem ser diferentes a medicina chinesa e a medicina ocidental. Suas filosofias são totalmente distintas, assim como a dialética de um não tem nada a ver com a do outro. São duas matrizes de pensamento diferentes que analisam o ser humano, a doença e a terapêutica de maneira distinta.

A corrente médica do Yì Jīng (Clássico das Mutações) integra noções taoístas, noções do yǎng shēng (养生), da dietética, da acupuntura, da moxabustão, das plantas. Esta dialética é baseada no yīn yáng, nos cinco movimentos, nos canais e nos órgãos zàng fǔ, enquanto que a corrente das Prescrições Clássicas (jīng fāng 经方) está essencialmente assentada no uso das substâncias medicinais. Este método é baseado nos oito principios (bā gāng 八纲), seis sistemas (liù jīng 六经), síndromes das prescrições.

A obra de Zhāng Zhòng Jǐng foi, e ainda é, estudada no escopo das teorias do Yì Jīng/Nèi Jīng. Alías, esta é uma grande tendência na China. É interessante, mas há pouca chance de estar relacionada aos conceitos originais transmitidos por Zhāng Zhòng Jǐng que se apoiam claramente no Shén Nóng Běn Cǎo Jīng (A matéria Médica de Shen Nong) e no Tāng Yè Jīng Fǎ 汤液经法 (O método do clássico das decocções). Utilizar as teorias do Nèi Jīng (Clássico interno) para explicar e utilizar o Shāng Hán Zá Bìng Lùn 伤寒杂病论 (Tratado das lesões pelo frio e doenças diversas) provavelmente não é o melhor meio para uma aplicação clínica eficaz. Pois qualquer teoria, por mais bela que seja, deve ter uma alta relevância na vida real, caso contrário, permanece apenas uma ilusão mental.


A origem do nome « Shāng Hán Zá Bìng Lùn » e seu grande mal-entendido


O Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) foi chamado inicialmente Lùn Guǎng Tāng Yè 论广汤液. Este nome foi mudado por Wáng Shū Hé 王叔和, o ministro da medicina imperial sob a dinastia Jin do oeste (265 - 316). Ele reconstituiu e colocou em ordem a famosa obra de Zhāng Zhòng Jǐng que tinha sido dispersada e esquecida por causa de problemas sociais da época. Ele faz algumas mudanças no texto original e, em especial, muda o nome para Shāng Hán Zá Bìng Lùn 伤寒杂病论(Tratado das lesões pelo frio e das doenças diversas) e Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro). Ao reorganizar o texto original e lhe dar outro nome, Wáng Shū Hé favoreceu inúmeros mal-entendidos que persistem até hoje. A má interpretação deste texto é reforçada quando é comparado a outra corrente médica, a das Doenças Febris (wēn bìng 温病). Tem-se a tendência a pensar que esta última propõe tratamento para doenças infecciosas enquanto a obra de Zhāng Zhòng Jǐng seria para patologias derivadas de uma lesão pelo frio. Trata-se do principal erro de interpretação. Os ensinamentos do Shāng Hán Lùn (Tratado das lesões pelo frio) e do Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro) permitem tratar patologias do tipo vazio e do tipo plenitude, do tipo externo e do tipo interno, de síndromes de frio e síndromes de calor, de doenças agudas e de doenças crônicas. Ele cobre todas as patologias do ser humano. Por si só, ele representa um sistema médico coerente e muito rico podendo responder a todas os males de que sofrem os pacientes que frequentam nosso consultórios de medicina chinesa..

Muitos praticantes tem resultados excepcionais, chegam a tratar doenças ditas difíceis de curar aplicando uma metodologia fundamentada no Shāng Hán Zá Bìng Lùn 伤寒杂病论(Tratado das lesões pelo frio e das doenças diversas) e o Jīn Guì Yào Luè (Manual do cofre de ouro). E por que não você?

continua no próximo artigo....

Tradução: Silvia Ferreira (www.sionneaubrasil.com)

direitos reservados: Philippe Sionneau


45 visualizações
  • Grey Facebook Icon

​© 2017 Projeto Sionneau Brasil - São Paulo, SP

Layout by Pérola Produções